Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

As vacinas são substancias criadas para estimular e ensinar o sistema imunológico, a fim de tornar o organismo imune ou mais resistente contra alguns agentes que podem provocar doenças.

Na substância da vacina, podemos encontrar um componente do agente agressor, ou seja, o próprio agente agressor numa forma diminuída ou enfraquecida, ou outro agente que seja semelhante ao causador da doença.

O calendário vacinal é uma sequência cronológica de vacinas que se administram sistematicamente às crianças de determinada área ou região.
No calendário vacinal proposto pelo Ministério da Saúde incluem as seguintes vacinas:

  • BCG: vacina contra a tuberculose
  • VHB: contra a Hepatite B
  • SABIN: contra a Poliomielite
  • DPT-Hib:  contra Difteria, Coqueluche, Tétano e H. influenzae Tipo B
  • FA: contra Febre Amarela
  • DPT: contra Difteria, Coqueluche e Tétano
  • Tríplice Viral: contra Sarampo, Caxumba e Rubéola
  • ROTA: vacina Oral contra Rotavírus
  • dT: vacina dupla, tipo adulto, contra a Difteria e o Tétano.

Cada vacina possui uma idade mínima para ser iniciada e os intervalos entre as doses devem ser respeitados para que a vacinação seja mais efetiva. Para isso o Ministério da saúde elaborou um esquema de vacinação, que é utilizado por todo o sistema de saúde brasileiro.

Em alguns casos é recomendável o adiamento da vacinação, como na presença de doença aguda com comprometimento do estado geral ou em recém-nascidos com menos de 2 kg.

A criança deve fazer acompanhamento médico mensal no primeiro ano de vida, e todas as informações sobre a vacinação e sua importância serão passadas pelo médico.

 

 

Fonte: http://www.infoescola.com/saude/vacinacao-de-criancas/


sidebar